Reinsurance
Product Family
Claims
Services
Services
Services
Risk Consulting
Resources & Tools
Resources and Tools
About AXA XL
About AXA XL
About AXA XL
Get In Touch

Ao olhar a região de forma abrangente, os investidores estrangeiros e instituições financeiras .. encontram um intrigante mix de riscos e oportunidades. Os mercados da América Latina têm agitação política, crises financeiras e mudanças iminentes no regime. Mas a região também oferece bolsões de estabilidade política e econômica e sólidas oportunidades para comércio e desenvolvimento. Do ponto de vista de risco político e de crédito comercial, o futuro da América Latina pode ser visto por quatro principais lentes:ComércioApesar de uma tendência histórica de retórica nacionalista e isolacionista, hoje os novos governos na América Latina estão adotando políticas de centro que apoiam a expansão do comércio. Por exemplo, embora continue a enfrentar uma crise financeira, a Argentina está conseguindo obter acordos internacionais. Os governos anteriores da Colômbia estiveram abertos ao comércio, e o novo governo adotou uma abordagem pragmática, pró-comércio. O México parece ter chegado a um acordo com os Estados Unidos com o novo Acordo Estados Unidos-México-Canadá (USMCA, na sigla em inglês). A previsão do Banco Mundial é de que o crescimento regional ganhará força em breve, chegando a 2% em 2018 e a 2,6% em 2019.EleiçõesDas maiores economias da região, três — Brasil, Colômbia e México — tiveram eleições presidenciais em 2018 dispostas a reformular seus governos. Em junho, a Colômbia elegeu Ivan Duque, seu mais jovem presidente na história moderna, e sua companheira de chapa, Marta Lucia Ramirez, tornou-se a primeira mulher vice-presidente da Colômbia. Em julho, o México elegeu, pela primeira vez em décadas, um candidato de esquerda, Andres Manuel Lopez Obrador. A campanha de Obrador tinha o compromisso de lutar contra a corrupção desenfreada e de reduzir a pobreza por meio de gastos com programas sociais. Os brasileiros foram às urnas em 7 de outubro, para escolher entre vários candidatos. Após a pior recessão do país até hoje e escândalos de autoridades em cargos importantes, os brasileiros parecem prontos para mudar.
Em um tempoem que algumas seguradoras estão recuando ou limitando os prazos de programas de crédito, é importante  que investidores e bancos saibam que as companhias de seguros como a AXA XL possuem expertise em risco político, crédito comercial e obrigações, e estão comprometidas com a América Latina no longo prazo.
DesafiosCorrupção é um dos maiores desafios para os mercados da América Latina. Ela é um fator importante que os investidores devem considerar. Muitos países na região não têm quadro institucional para criar um Estado de Direito coeso, motivo pelo qual continuamos a ver favorecimentos, subornos e fraudes.Alguns grandes casos de corrupção envolvendo suborno de autoridades públicas geraram perdas para os investidores. Em 2016, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, o Brasil e a Suíça identificaram conjuntamente o que o Departamento de Justiça chamou de o maior caso de suborno internacional já visto. Envolveu propostas de projetos globais da Odebrecht através de um esquema elaborado e amplo para pagar políticos em mais de 10 países da América Latina, particularmente no Brasil. Esses casos minaram a confiança em uma época em que o investimento estrangeiro estava sendo canalizado para importantes projetos de infraestrutura e geração de energia.A corrupção se generalizou o suficiente para que candidatos políticos poderosos fossem forçados a se retirar das eleições no Brasil. O ex-presidente brasileiro  Luiz Inácio Lula da Silva  foi condenado a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro e era o favorito na eleição presidencial do país até que, em setembro, o Supremo Tribunal Federal aceitou suas condenações, tornando-o inelegível. Do lado positivo, combater a corrupção é parte da plataforma dos novos presidentes do México e da Colômbia e o principal compromisso de campanha dos candidatos brasileiros restantes.Resposta do mercado de segurosSempre pensamos em seguros quando pensamos em correr riscos, e há muitos deles na América Latina. A AXA XL está otimista sobre o futuro da região e aberta a negócios em toda a América Latina. As economias da região têm projetos importantes de infraestrutura para geração de energia, estradas, petróleo e gás, que requerem financiamento de longo prazo, o que finalmente ajudará a América Latina a emergir de seus problemas do passado e continuar a crescer. "Em um tempo em que algumas seguradoras estão recuando ou limitando os prazos de programas de crédito, é importante que investidores e bancos saibam que companhias de seguros como a AXA XL possuem expertise em risco político, crédito comercial e obrigações, e estão comprometidas com a América Latina no longo prazo".Sobre o autorJavier Gomez é Vice-Presidente, Avaliador de Riscos Sênior da equipe Global de Risco Político, Crédito e Obrigações da AXA XL em Nova York. Pode ser contatado em  Javier.gomez@axaxl.com  ou 212-915-6761.
  • About The Author
  • Avaliador de Risco Sênior, AXA XL
Invalid First Name
Invalid Last Name
Invalid email
Invalid Captcha
 
More Articles