Resseguros
Product Family
Recursos & Ferramentas

Por

Diretor de Cargas Marítimas da AXA XL nas Américas

No século 17, a navegação era um empreendimento perigoso. Os donos de navios se reuniam na cafeteria Edward Lloyd's, e foi lá que surgiu a ideia de dividir os riscos financeiros: eles escreviam o nome do navio, a rota e a carga na parede da Lloyd's. Outros donos de navios que quisessem dividir os riscos escreviam o nome deles sob o nome do navio. Esses avaliadores de riscos ajudaram a lançar todo o setor de seguros moderno

O atual mercado de cargas marítimas é muito mais arriscado e complexo do que qualquer um deles teria imaginado. O mercado de seguros marítimos mais amplo goza de menos regulamentação, e os subscritores marítimos têm muita liberdade criativa para criar soluções inovadoras de cobertura. Mas essa flexibilidade também tem custos.

Nos últimos 10 ou 15 anos, o mercado de seguros para cargas tem estado "fraco", ou seja, bom para comprar: capacidade plena, preços competitivos, e as seguradoras estavam oferecendo menos franquias, além de apólices com termos geralmente favoráveis e cada vez mais amplos. Contudo, as condições do mercado não favorecem a lucratividade e a solidez financeira das operadoras. Por isso que, a partir de 2019, o mercado de seguros de cargas começou a mudar, já que as perdas estavam cobrando um preço.

Fumaça na água
Catástrofes naturais, como os furacões Dorian, Harvey, Irma e Maria, além dos incêndios nos EUA e Canadá, causaram muito impacto. Assim como as explosões portuárias em Tianjin em 2015, considerada a terceira perda mais onerosa do setor, de mais de 3,5 bilhões de dólares. Tempestades e grandes catástrofes, como as explosões de Tianjin, não são a única razão pela qual o mercado está procurando se corrigir.

Embora os navios modernos sejam feitos de aço e não de madeira, como na época da Lloyd's, um incêndio no mar pode ter consequências devastadoras. Uma tendência preocupante tem sido incêndios a bordo. Incêndios em embarcações de contêineres são a principal causa de sinistros dispendiosos, além de complexos. No caso do navio Maersk Honam, em 2018, levou mais de um mês até apagar o incêndio que destruiu mais de 2.500 dos 7.800 contêineres a bordo. Devido a vários fatores, como o grande número de segurados, a identificação da causa raiz e outros, levará anos até que se chegue a um acordo.

Incêndios são um problema em crescimento, houve nove grandes incêndios em navios de carga só em 2019. A Agência Nacional de Cargas atribui o aumento do risco de incêndio a vários fatores, começando com cargas perigosas mal armazenadas, não declaradas ou mal declaradas. E o risco só aumenta com o crescente número de contêineres transportados, combinado com cargueiros cada vez maiores.

Navegando uma nova rota
Atualmente, o mercado de cargas está em estado de emergência e correção. Embora a Lloyd's de Londres ainda seja um hub para os riscos de cargas marítimas, ela mesma emitiu uma diretiva aos seus sindicatos de que eles precisam aumentar a rentabilidade, ou sairão do mercado. Muitas seguradoras já se retiraram de determinadas linhas comerciais marítimas, incluindo cargas. A capacidade diminuiu. Embora essas ações corretivas sejam necessárias para manter o compromisso de longo prazo das seguradoras de carga, tais condições de mercado podem alertar compradores que buscam cobertura marítima. Primeiro, porque os preços estão em alta. Em determinadas mercadorias ou tipos de cargas, pode ser difícil descobrir a capacidade adequada para cobrir os riscos.

Todos esses fatores têm conspirado para transformar o mercado de cargas marítimas em relação a apenas um ano atrás.

Todos esses fatores têm conspirado para transformar o mercado de cargas marítimas em relação a apenas um ano atrás. Muitas seguradoras limitaram suas ambições ou saíram totalmente do mercado. Das que permaneceram, algumas evitam segmentos inteiros do setor ou cargas sensíveis ou propensas ao roubo, como equipamento de diagnósticos ou perecíveis. Outras oferecem um limite menor.

O modelo de assinaturas também está virando um modo de as seguradoras da América do Norte continuarem a oferecer uma cobertura que atenda à demanda. A seguradora principal define as tarifas e prazos, e as assinantes (outras seguradoras) acompanham. Esse modelo tem sido muito comum entre os sindicatos da Lloyd's há muito tempo. O problema é que o processo pode ser penoso tanto para as seguradoras quanto para corretores e segurados.

Ao alavancarem estrategicamente o resseguro, as seguradoras têm mais flexibilidade. A transferência de riscos para terceiros está ficando cada vez mais comum em comparação ao mercado fraco, no qual as seguradoras assumiam mais riscos. No entanto, o preço da capacidade de resseguro vem aumentando, o que também contribui para um mercado menos competitivo e taxas mais altas.

Mesmo com as seguradoras sendo mais seletivas, os segurados e corretores podem ajudar. Dar informações claras sobre a subscrição, demonstrar como os riscos são protegidos e, em geral, dar mais detalhes do porquê seu risco é melhor podem ajudar muito.

Com todas essas mudanças no mercado, vimos uma redução nas equipes de subscrição marítima para casco, responsabilidade e carga. Esse fenômeno oferece desafios a segurados e seguradoras.

Pegando onda na nova tecnologia
Pode ser um grande desafio definir uma cobertura para riscos de pequeno e médio porte (faturamento menor do que US$ 25 milhões). De acordo com a Agência de Estatísticas de Transporte, o sistema de transporte dos EUA transportou uma média diária de cerca de 51,0 milhões de toneladas de frete avaliado em mais de US$ 51,8 bilhões em 2018. A Estrutura de Análise de Carga da agência estima que a tonelagem aumentará cerca de 1,2% ao ano entre 2018 e 2045.

Para lidar com mais volume de riscos de carga de pequeno e médio porte, a equipe de Seguros Marítimos da AXA XL recentemente firmou parceria com a seguradora Vindati, um agente de subscrição especializado (MGU) que oferece produtos especializados e venda integrada a corretores e agentes. O seguro de cargas oceânicas para empresas de pequeno e médio porte é feito na plataforma on-line da Vindati.

Qualquer corretor licenciado pode se cadastrar e acessar a plataforma. Todo o processo é simplificado e tem termos e condições simples. O prêmio é pago diretamente no local, e o comprovante do seguro é emitido imediatamente. É possível até mesmo obter cobertura na hora certa. Recentemente, um cliente garantiu uma cobertura completa no mesmo dia para um embarque emergencial de EPI e ventiladores, incluindo Certificado de Seguro Negociável, em questão de minutos.

Entre os tipos de carga que já haviam entrado nessa plataforma de cobertura de seguro de cargas estão:

  • Cargas em geral
  • Matérias-primas
  • Componentes de motor
  • Papel
  • Material de escritório
  • Acessórios para smartphone
  • Materiais de construção

O mercado de Cargas Marítimas mudou muito em pouco tempo. Porém, à medida que o volume de cargas cresce e as empresas tentam acompanhar a demanda nos EUA e em todos os cantos do mundo, nunca foi tão grande a necessidade de cobertura de cargas. Com base em uma longa experiência no ramo, além de possuir novas tecnologias, o mercado de Cargas Marítimas tem o compromisso de manter as remessas dos clientes em segurança enquanto vão de um ponto a outro.

Para contatar o autor desse artigo, por favor, preencha o formulário abaixo.

Seu primeiro nome
Seu Sobrenome
Selecione o seu País
E-mail
Invalid Captcha
 
REGISTRE-SE AQUI